Pular para o conteúdo
Voltar

Programa dá independência ao trabalho de servidor com deficiência visual

Analista jurídico afirma que sistema permite acessar informações sem depender da ajuda dos colegas de trabalho
Noelma Oliveira | PGE-MT

Analista jurídico da PGE, Ângelo Alberto Santos de Lima, utiliza nova ferramenta para desenvolver suas funções no órgão - Foto por: Assessoria/PGE
Analista jurídico da PGE, Ângelo Alberto Santos de Lima, utiliza nova ferramenta para desenvolver suas funções no órgão
A | A

Um programa instalado no computador do analista jurídico da Procuradoria Geral do Estado (PGE), Ângelo Alberto Santos de Lima, está fazendo a diferença no seu trabalho diário. Com deficiência visual, o leitor de tela implantado dá uma nova dinâmica, celeridade e independência ao trabalho do servidor público estadual.

“Antes o meu trabalho dependia de outras pessoas, caso precisasse de alguma informação teria que pedir ao colega. Agora, com este programa eu faço por aqui, preciso apenas de um fone de ouvido”, descreveu Ângelo. Ele explica que para caso de leitura, necessariamente, dependia 100% dos outros para captar informações.

Há 12 anos na função pública e único com deficiência visual na PGE, Ângelo aponta a necessidade de ampliar os conhecimentos. “Quando entrei era uma estrutura, agora mudou totalmente a estrutura da Lei Orgânica da Procuradoria”, diz o servidor, que também é pedagogo, professor da rede estadual e pró-graduado Especialista em Direito Público e Gestão Escolar.

Diretora da PGE, Soraya Mota Queiroz Salvador, afirma que o programa instalado no computador de trabalho do servidor dá, sobretudo, dignidade para ele. “Para instalar o programa, não demandou recursos, apenas boa vontade. A equipe gestora está de parabéns em se preocupar e ter sensibilidade com a pessoa com deficiência. Uma pessoa com deficiência visual ter acesso ao sistema, ele produz mais”, complementou Ângelo.